Anatomia dos Passes – Parte 1 : Percentual de Passes Certos no Brasileirão.

O que o Número de Passes nos revela?

As transmissões da TV adoram estatísticas que não dizem nada. Jader Rocha, enquanto transmitia, pelo canal SporTV, PSG e Saint-Étienne, afirmou: “Neymar se tornou o primeiro jogador na década a marcar gols em suas duas primeiras partidas pelo PSG. O último a conseguir o feito foi Florian Maurice em 1997”. Curiosidade à parte, essa informação não diz nada. Na mesma transmissão, a emissora apresentou as estatísticas no intervalo da partida. Uma delas foi o número de passes errados: o PSG errou 36 passes; o Saint-Étienne errou 33. Conclusão, o PSG foi menos preciso nas tentativas de passe do que o adversário. Certo? Errado!

As transmissões de partidas de futebol geralmente trazem os dados do número total de passes errados de cada equipe (isso não é exclusividade dos canais SportTV). Baseados nisso, os comentaristas afirmam que o time A errou mais passes do que o time B. Na realidade, o que importa, para essa comparação, são os percentuais de passes errados. Se o clube A errou 10 passes e acertou 90, enquanto o clube B errou apenas 5 e acertou outros 5; então o clube A apresentou maior precisão nos passes, embora tenha errado em número absoluto. O número total de passes errados não diz nada sobre a precisão de cada clube nos passes. Mas mesmo considerando o percentual de passes certo, isso nos diz alguma coisa sobre a partida?

Recentemente, Ted Knutson escreveu um artigo no site StatsBomb intitulado “Passing Percentage Are Mostly Useless” (confira aqui). Segundo o autor, o percentual de passes certos é uma estatística pouco útil para avaliar jogadores. Uma partida de futebol tem, em média, um pouco menos de 3 gols; umas 25 finalizações; e em torno de 1000 passes. À primeira vista, parece razoável a ideia de que o percentual e/ou número de passes sejam pouco informativos quanto ao resultado da partida. O artigo de Ted Knutson – que faz uma discussão mais profunda do que os números que acabei de apresentar –  tem seus méritos.

As transmissões de TV e os analistas do esporte parecem desprezar as estatísticas de passe. Contudo, uma alta taxa de acertos de passe conduz uma equipe à vitória? O número de passes realizados influencia a quantidade de gols em uma partida? A maioria dos analistas esportivos afirma que não. Um time pode acertar 100% dos passes, realizar o dobro de passes do que o adversário e, no final, não chutar no gol. Em resumo, os passes podem ser estéreis. Passes entre zagueiros, zagueiros e volantes, e recuos para os goleiros.

Bom, vamos olhar para as tentativas de passes no campeonato brasileiro e descobrir o que eles nos dizem. Primeiro, a distribuição das tentativas de passes até agora no Brasileirão (dados atualizados até a rodada 21):

DISTRIBUICAO_PASSES
Total de tentativas de Passe e frequência (número de partidas). Dados do campeonato brasileiro de 2017, até a rodada 21.

A maioria dos jogos tiveram, em média, 930 tentativas de passe (somando as duas equipes). Essas tentativas acabam em passes completos? Abaixo a distribuição dos acertos de passes por partidas.

DIST_PASSES_CERTOS
Percentual de passes certos e frequência (número de ocorrências). Dados do campeonato brasileiro de 2017, até a rodada 21.

Em média, neste ano, os jogos tiveram cerca de 79% de passes certos. O histograma mostra que há bastante dispersão. O jogo com menor acerto de passes foi Chapecoense 0x1 Atlético MG. Neste jogo o galo terminou a partida com 55,3% de acertos de passe, errou quase a metade das tentativas de passe (um jogo para o torcedor do galo esquecer). Mesmo assim o galo conseguiu os três pontos. O maior percentual de acertos em uma partida pertence ao Santos. No jogo Atlético GO 1×1 Santos, o time paulista acertou 89,3% dos passes (nível de Barcelona). O Atlético GO acertou pouco mais de 70% (mais ou menos o que o Sunderland acertou de passes, em média, no campeonato inglês do ano passado). Mesmo assim, o Santos não conseguiu a vitória (e o Sunderland foi rebaixado na temporada passada!). Isso parece sugerir que alto percentual de acerto de passes não tem influenciado os jogos nas caudas da distribuição. Mas antes de analisar isso mais a fundo, um detalhe dessas partidas chama a atenção: O galo errou quase metade dos passes, porém, realizou pouco mais de 200 tentativas de passe; já o Santos, acertou quase todos os passes e realizou mais de 550 tentativas de passe. Como o percentual de passes certos se relaciona com o número de passes? Em geral, os clubes que mais acertam passes são os que mais efetuam passes. A figura abaixo mostra a associação entre tentativas e acertos.

TENT_ACERTOS
Percentual de acerto de passes e tentativas de passes.

Mas a distância do passe importa na hora de acertar um passe.  É claro que passes mais curtos, são mais fáceis de acertar do que passes mais longos. A figura abaixo traz a correlação entre distância vertical (em metros) e acerto de passe (distância vertical é a distância em direção ao gol adversário; corresponde a quantos metros a bola percorreu, durante um passe, em direção ao gol adversário). Para assegurar uma taxa de acerto de cerca de 90%, é preciso realizar passes, em média, de até 6 metros. A reta de regressão entre distância vertical e acertos, gera um R^2 de 0.85, isso quer dizer que 85% da variação na taxa de acerto do passe é explicada pela distância.

DIST_ACERTOS
Distância média vertical: distância em linha reta na vertical, ou seja, na direção de um dos gols.

Mas será que os clubes que acertam mais passes se concentram em passes curtos? Além disso, é mais difícil trocar passes no campo do adversário do que no campo de defesa. Será que o Santos acertou mais passes do que o Atlético MG por que ele completa mais passes curtos e no campo defensivo? Se essa hipótese for verdadeira, então teremos evidência de que o percentual de passes certos não traz informação quanto ao resultado da partida.

Antes de analisar isso, vamos ver (finalmente) quais os clubes que acertam mais passes neste brasileirão. A Tabela 1 traz o ranking dos clubes por percentual de acertos de passe. PC% = percentual de acertos, PF% = percentual de acertos apenas dos passes para frente (entenda “para frente” como passes na direção do gol adversário), D_M = distância média das tentativas de passe, FT = passes no último terço do campo (entenda “último terço” como próximo da grande área ou dentro da grande área adversária), FT% = percentual de acertos apenas dos passes realizados no último terço do campo, FT_PT% = percentual das tentativas de passe que são realizadas no último terço do campo, Fin = número de finalizações da equipe no campeonato, e Gols = número de gols excluído gols de pênalti ou gols contra.

Tabela 1

Clube PC% PF% D_M FT FT_Ten FT% FT_PT% Fin Gols
1 Flamengo 83,79% 78,43% 5,35 2050 2907 70,52% 29,06% 315 28
2 Corinthians 83,19% 77,34% 5,43 1622 2315 70,06% 23,46% 238 30
3 Santos FC 83,15% 77,14% 5,52 1648 2334 70,61% 24,09% 231 22
4 Sao Paulo 83,07% 77,12% 5,24 1963 2748 71,43% 28,91% 288 23
5 Gremio 83,05% 76,84% 5,57 2102 2864 73,39% 28,06% 255 32
6 Atletico PR 81,81% 75,12% 5,69 1487 2231 66,65% 24,14% 242 22
7 Palmeiras 81,43% 75,19% 5,81 1659 2488 66,68% 26,23% 263 23
8 Cruzeiro 81,42% 74,65% 5,74 2139 2952 72,46% 31,33% 313 23
9 Fluminense 80,96% 74,61% 6,73 1177 1852 63,55% 24,12% 245 24
10 Bahia 80,38% 73,00% 6,00 1514 2211 68,48% 26,67% 304 27
11 Sport 80,14% 73,62% 5,98 1766 2641 66,87% 27,94% 251 25
12 Atletico MG 79,91% 73,53% 6,28 2064 2965 69,61% 32,27% 269 20
13 Ponte Preta 79,36% 72,52% 6,81 1357 2063 65,78% 24,76% 239 18
14 Vasco da Gama 79,24% 72,04% 6,39 1422 2133 66,67% 26,98% 273 21
15 Botafogo RJ 78,05% 70,48% 7,03 1075 1737 61,89% 21,62% 235 22
16 Vitoria 77,00% 68,85% 7,09 1567 2520 62,18% 29,44% 258 19
17 Coritiba 76,54% 69,57% 7,79 1255 2131 58,89% 27,98% 245 17
18 Atletico GO 76,24% 69,18% 7,90 1291 2027 63,69% 27,65% 280 14
19 Chapecoense AF 75,80% 68,29% 7,66 1224 1990 61,51% 28,53% 307 24
20 Avai FC 74,74% 67,61% 8,37 1173 1913 61,32% 27,18% 207 11

 

O clube que mais acerta passes no brasileirão deste ano é o Flamengo, seguido por Corinthians e Santos. Porém, a diferença entre os clubes é muito pequena. Os cinco primeiros da Tabela 1 possuem taxa de acerto entre 83,05% e 83,79%. Mas a diferença é grande para os últimos 5 da tabela, os quais acertam cerca de 76% dos passes. Os cinco primeiros da tabela também são os cinco primeiros com menor distância média nos passes. O Avaí, o clube com menor percentual de passes certos, tenta passes 56% mais longos (em média 3 metros mais longos) do que o Flamengo. Enfim, a Tabela 1 nos diz que os clubes que mais acertam passes, efetuam, em média, passes mais curtos.

O Flamengo também lidera o percentual de acerto de passes para frente, ou seja, na direção do gol adversário. A Tabela 1 também mostra que os clubes que mais acertam passes não são, necessariamente, os que efetuam maior número de passes para trás. Quem é bom passador costuma ter uma alta taxa de acerto nos passes no último terço do gramado. Portanto, clubes que são “bons passadores” são bons em todos os tipos de passes: passes para frente, no último terço, entre zagueiros … Vejamos o caso do Santos. O peixe possui uma das mais altas taxas de acerto de passes do campeonato. Ao mesmo tempo, está entre os primeiros na lista de percentual de acertos de passe para frente, e no percentual de acerto de passes no último terço. Então, não podemos afirmar que clubes que possuem alta taxa de acerto de passes são focados em passes para trás ou estéreis.

Um adendo, o Flamengo, é o único clube entre os cinco melhores passadores que está entre os cinco clubes que mais realizam passe no último terço do campo (o Atlético MG lidera esse quesito). Ou seja, o Flamengo acerta mais passes, mesmo considerando apenas os passes na direção do gol adversário (excluindo os passes entre zagueiros, por exemplo), e é quarto clube que mais troca passes ao redor da área adversária (ou mesmo dentro da área adversária). Mesmo assim, o rubro-negro carioca não está entre os 3 primeiros na tabela de classificação. Uma causa disso é a baixa diferença entre seu xG e seus gols marcados de fato (na realidade, diferença negativa). Esse tema já foi abordado nesse post, sobre o xG dos times.

Será que clubes que passam melhor a bola conseguem finalizar mais? A tabela abaixo mostra as correlações entre as variáveis acima.

Tabela 2

PC% PF% D_M FT FT% FT_PT% Fin Gols
PC% 0,99 -0,96 0,68 0,86 -0,11 0,18 0,74
PF% 0,99 -0,94 0,68 0,85 -0,09 0,16 0,71
D_M -0,96 -0,94 -0,75 -0,88 0,01 -0,27 -0,76
FT 0,68 0,68 -0,75 0,86 0,60 0,45 0,51
FT% 0,86 0,85 -0,88 0,86 0,22 0,34 0,63
FT_PT% -0,11 -0,09 0,01 0,60 0,22 0,59 -0,09
Fin 0,18 0,16 -0,27 0,45 0,34 0,59 0,34
Gols 0,74 0,71 -0,76 0,51 0,63 -0,09 0,34

 

Não podemos dizer que clubes que realizam mais passes certos, finalizam mais. A correlação é de apenas 0.18 (em verde na Tabela 2). Finalizações estão mais correlacionadas com percentual de passes realizados no último terço do campo: A correlação é de 0,59 (em vermelho na Tabela 2). Isso significa que clubes que trocam mais passes no campo do adversário, finalizam mais. Mas mesmo esta correlação não é muito alta. Porém a correlação entre Gols e percentual de acerto de passes é 0,74 (em azul na Tabela 2). A figura abaixo mostra a associação entre passes certos e número de gols. Clubes que passam melhor a bola estão associados com mais gols, embora isso não se reflita tanto em maior número de finalizações.

GOL_PASSE

É importante notar que só estamos falando de correlações aqui; associações lineares entre as variáveis. Não podemos afirmar qual variável causa a outra. Estamos apenas analisando relações lineares que podem ter causalidade mútua.

Apesar de Corinthians, Grêmio e Santos figurarem entre os cinco clubes com maior taxa de acerto de passes, vários clubes que estão bem na tabela de classificação não estão bem no ranking de passes certos: o São Paulo está em décimo sétimo lugar, lutando para não cair, e é o quarto clube que mais acerta passes no Brasileirão. No geral, a correlação entre a posição na tabela e o percentual de passes certos é de 0.72. A correlação é positiva. Essa correlação positiva corrobora o senso comum que nos diz que: clubes que passam melhor a bola podem chegar mais ao campo adversário, e assim realizar mais, ou melhores, finalizações. Como consequência, vemos uma alta correlação positiva entre os pontos conquistados e o percentual de acerto de passes.

Os resultados acima podem ser resumidos como: 1) clubes que tem maior precisão nos passes são os que mais trocam passes no campo do adversário; 2) clubes que acertam mais passes estão associados a um maior número de gols; 3) A correlação entre a posição na tabela de classificação e o percentual de acerto de passes é positiva. Existe uma associação positiva entre o percentual de passes certos e a colocação na tabela.

…  Na próxima postagem, vamos fazer uma análise um pouco mais profunda sobre a associação entre passes e finalizações/gols.

 

Nota: Os dados utilizados neste post são do whoscored.com.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s